Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Berghain, a balada de Berlim dentro de uma usina elétrica


Instalada em uma antiga usina elétrica abandonada em Berlim, na Alemanha, a Boate Berghain está localizada em uma área isolada, deserta e escura da cidade. Ainda assim, a balada se tornou um dos grandes, peculiares e incríveis atrativos da capital.

A casa noturna segue a tendência das festas que surgiram no período em que o muro ainda dividia a cidade. Naquela época, a batida techno - música eletrônica nascida em Detroit na década de 80, nos Estados Unidos - era comumente associada às festas ilegais que aconteciam em fábricas e grandes edificações abandonadas nas periferias. O diferencial da Berghain é justamente esse: se manter suja, insana e fiel às suas raízes, em contraste à maior parte das boates convencionais de hoje.

 

O grande edifício de concreto, cercado por grades velhas e matas secas, não se parece nada com as baladas que estamos acostumados aqui no Brasil. A decoração ficou por conta do clima industrial e do aspecto do local, ou seja, abandonado – máquinas antigas desativadas, tubos e fiações propositalmente expostos para intensificar ainda mais a pegada underground.


Salas secretas e escondidas estão espalhadas por toda a edificação, assim como banheiros e espaços para descanso. Em um deles é possível encontrar poltronas parecidas com as de aviões. Outra curiosidade é que não existem espelhos em nenhum local da boate, nem mesmo nos toaletes.


Para entrar na boate, a política da portaria é um pouco diferente e criteriosa. O segurança barra ou permite a entrada dos que se arriscam nas filas quilométricas sem nenhum critério específico. Os selecionados não seguem nenhum padrão: existem até fóruns na internet destinados à troca de experiências e dicas de como passar pela aprovação do segurança.