Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Closets sob medida: saiba como aproveitar o espaço

Conde Irajá, por Stuchi & Leite Projetos – Foto: Maíra Acayaba

Redação Galeria da Arquitetura

Planejar closets envolve diversas questões. Afinal, conceber um ambiente prático e organizado para guardar roupas, calçados e acessórios implica atenção especial tanto em relação ao tipo de armário, quanto ao aproveitamento de espaço e iluminação do local, principalmente quando a área disponível é pequena.

Além de manter as peças sempre acessíveis – para facilitar o dia a dia dos moradores –,  cômodo precisa otimizar cada canto do espaço. Pensando nessas premissas, as arquitetas Viviane Loyola e Daniela Omairi deram dicas fundamentais para o planejamento de closets em áreas reduzidas. Confira:

Conheça os clientes

Para organizar e dimensionar o espaço de maneira prática, é importante conhecer os hábitos e as preferências dos moradores. Isso inclui saber a frequência com que eles usam tais peças, assim como a quantidade e o modo que desejam guardá-las. Vestimentas pouco procuradas podem ficar em prateleiras altas ao fundo, diferentemente das mais utilizadas, que devem estar fáceis de apanhar. 

Segundo a arquiteta Viviane Loyola, é importante setorizar os espaços conforme o uso. “Além das peças do dia a dia estarem sempre à mão, vale separar as roupas de cabide daquelas que vão para as prateleiras, assim como sapateiros e nichos que acomodam outros acessórios”, indica.

Tipos e detalhes

closet pode ser planejado ou modular. Para Daniela Omairi, a primeira opção sempre terá melhor aproveitamento que a segunda em termos de otimização e personalização do espaço. Isso porque um mobiliário planejado é feito sob medida para o morador, enquanto o modular é genérico – o morador terá que se adaptar ao espaço oferecido.

Residência Santa Felicidade, por EFTM Arquitetura – Foto: Nenad Radovanovic

Daniela recomenda também a especificação de alguns compartimentos. “Gavetas com divisórias para roupas íntimas e bijuterias são opções que favorecem a organização e a visualização das peças”, cita. Sobre as sapateiras, acrescenta: “se dispostas em altura coerente com a dos moradores, elas minimizam o desperdício de espaço”.

As prateleiras podem ser fechadas por vidro, madeira ou cortinas; com portas de abrir ou de correr, mas nada impede que fiquem abertas. As opções são muitas, mas Viviane adverte: “apesar de facilitar a visualização das roupas, um cômodo exposto dificulta a manutenção – devido ao acúmulo de poeira – e, dependendo da incidência de luz natural, pode acabar manchando as peças”.

Definir como o cômodo será – aberto ou fechado, com portas de correr ou abrir –, vai depender do espaço disponível no local. Quando se tem uma metragem razoável, vale explorar as portas de abrir. Do contrário, as de correr cumprem a função de economizar espaço e, se forem espelhadas, dão a sensação de amplitude.

Iluminação

iluminação pode ser natural ou artificial. Quando há janelas no closet, é importante garantir que o sol não incida diretamente nas roupas, para não queimá-las ou marcá-las em suas dobras. Nesse caso, funcionam os closets fechados e as persianas.

Apartamento Paraíso, por AUM Arquitetos – Foto: Maíra Acayaba

Em projetos com iluminação artificial, as arquitetas citam uma nova tendência: cabideiros com luz embutida. Com um sensor interno, a luz direcionada é acesa apenas quando o armário é aberto, permitindo melhor visualização das peças. 
Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo