Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Filmes que todo arquiteto deveria assistir - Parte 2

Crédito: Leonardo Finotti

Redação Galeria da Arquitetura

O cinema é uma arte audiovisual capaz de transmitir, de maneira mais acessível, conhecimento e gerar debates sobre as mais diversas áreas de conhecimento. A arquitetura e o urbanismo, por exemplo, são temas tratados em inúmeros filmes – alguns já foram listados anteriormente.

Nessa segunda lista, escolhemos filmes que têm a arquitetura de plano de fundo. Eles são fonte para a profissão, unindo responsabilidade social e viés artístico. Confira:

10 - O Arquiteto
(Direção: Matt Tauber - Ano 2006)
Foto: Divulgação

A trama apresenta o famoso arquiteto Leo que, em sua juventude, projetou um conjunto habitacional de baixo orçamento. O filme na atualidade mostra o conjunto habitacional deteriorado, sendo o lugar perfeito para elevados índices de criminalidade. A outra protagonista é Tonya, uma mulher que vive no complexo de apartamentos e lidera uma campanha para que ele seja demolido. Tonya procura Leo na esperança de ter seu apoio à petição, mas Leo não vê nenhuma razão para que sua obra seja destruída.


9 - 500 Dias com Ela

(Direção: Marc Webb - Ano 2009)
Foto: Divulgação

Quando Tom – azarado escritor de cartões comemorativos e românticos sem esperança – fica sem rumo depois de levar um fora da namorada Summer, ele volta a vários momentos dos 500 dias que passaram juntos para tentar entender o que deu errado.

Suas reflexões acabam levando-o a redescobrir sua verdadeira paixão na vida: a Arquitetura.


8 - Urbanizada

(Direção: Gary Hustwit - Ano 2011)

Foto: Divulgação

Urbanizada é um documentário sobre o projeto das cidades. Ele mostra problemas e estratégias por trás do desenho urbano através da visão de diversos profissionais. Mais de metade da população vive em áreas urbanas, enquanto 75% da população viverá dentro de cidades em 2050. No entanto, enquanto algumas cidades estão experimentando um crescimento explosivo, outras estão encolhendo.


7 - Distrito 9

(Direção: Neil Blomkamp - Ano 2009)

Foto: Divulgação

Alguns anos atrás, os aliens fizeram seu primeiro contato com a Terra. Humanos esperavam que a raça fosse ofensiva e proporcionasse um ataque ao planeta. Nada aconteceu e, ao invés disso, as criaturas pediram asilo, já que eram as últimas sobreviventes de seu planeta natal. Mas a coexistência da raça com os humanos não é fácil e os “camarões”, como são chamados preconceituosamente, permanecem escondidos em uma área povoada por barracos improvisados na África do Sul, denominada Distrito 9. Lá, são obrigados a viver no ostracismo e proibidos de sair até que os humanos decidam o que fazer com eles. Os cenários são verdadeiras aulas de arquitetura.


6 - O Gabinete do Doutor Caligari
(Direção: Robert Wiene - Ano 1920)
Foto: Divulgação

Sendo considerado um dos principais filmes do movimento cinematográfico Expressionismo Alemão, o filme utiliza o ambiente para expressar as emoções sentidas pelos personagens. O filme narra a história de um pequeno vilarejo da fronteira holandesa, onde um misterioso hipnotizador, Dr. Caligari, chega acompanhado do sonâmbulo Cesare que, supostamente, estaria adormecido por 23 anos. À noite, Cesare perambula pela cidade, concretizando as previsões funestas do seu mestre, o Dr. Caligari. O visual da produção, apesar de antiga, nos traz elementos em formas modernas.


5 - Arquitetura, A Transformação do Espaço
(Direção: Walter Lima Jr - Ano 1972)
Foto: Divulgação


 Um filme de três movimentos. No primeiro, uma síntese histórica da arquitetura brasileira, da casa grande/senzala ao prédio do Ministério da Educação. No segundo, arquitetos como Burle Marx, Lina Bo Bardi, Grigori Warchavchik e Joaquim Cardoso discorrem sobre a função social da arquitetura. No terceiro, habitantes de várias cidades brasileiras falam sobre o espaço em que vivem. A produção focaliza avenidas, fachadas e monumentos em sucessões de travelings elegantes, e quebra o formalismo da narração e dos depoimentos com um trabalho jornalístico nas ruas, entrevistando peões, estudantes e transeuntes anônimos.


4 - Reidy, a Construção da Utopia

(Direção: Ana Maria Magalhães - Ano 2011)
Foto: Divulgação

O documentário aborda a trajetória do arquiteto e urbanista Affonso Eduardo Reidy, através de sua proposta de transformação do Rio de Janeiro em cidade moderna, e a repercussão de sua obra na atualidade. Em projetos como o Museu de Arte Moderna e o Aterro e Parque do Flamengo, o mais querido pelos cariocas, o arquiteto promove a construção da paisagem urbana sob a perspectiva de uma utopia com capacidade de ação no mundo real.


3 - Blade Runner, O Caçador de Androides
(Direção: Ridley Scott - Ano 1982)

Foto: Divulgação

No início do século XXI, uma grande corporação desenvolve robôs inteligentes, mais fortes e ágeis que o ser humano. Os androides são conhecidos como replicantes e utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo dos robôs mais evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes serem considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar replicantes encontrados na Terra. Os visuais e efeitos são inspiradores.


2 - Koyaanisqatsi - Uma Vida Fora de Equilíbrio

(Direção: Godfrey Reggio - Ano 1982)
Foto: Divulgação

O filme é considerado uma obra-prima por proporcionar uma experiência única, na qual o espectador é conduzido por imagens e sons sem nenhum diálogo ou narrativa.

Sendo uma obra inteiramente sensorial, sua ideia original é demonstrar, através da fusão perfeita entre música e imagens de paisagens naturais e tipicamente urbanas, a influência  e impacto da evolução tecnológica na vida do homem moderno.




1 - Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

(Direção: Michel Gondry - Ano 2004)
Foto: Divulgação

Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) formavam um casal que durante anos tentaram fazer com que o relacionamento desse certo. Desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre e, para tanto, aceita se submeter a um tratamento experimental, que retira de sua memória os momentos vividos com ele.

Após saber de sua atitude Joel entra em depressão, frustrado por ainda estar apaixonado por alguém que quer esquecê-lo. Decidido a superar a questão, Joel também se submete ao tratamento experimental. Porém, ele acaba desistindo de tentar esquecê-la e começa a encaixar Clementine em momentos de sua memória os quais ela não participa. Os recortes e cenários são referência.


Não deixe também de conferir nossos textos sobre os traços arquitetônicos de Alfred Hitchcock e os projetos residenciais do cinema!

Comentários (1) -

  • manuel domingos

    03/11/2015 12:04:01 | Reply

    Bem didatico.gostei.

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo