Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Internautas elegem sete maravilhas arquitetônicas desconhecidas

Quando se pensa em construções arquitetônicas da humanidade, logo se vem à cabeça grandes obras de civilizações antigas como as Pirâmides do Egito ou o Coliseu Romano e novas – e não menos impressionantes – empreitadas arquitetônicas como o projeto da cidade de Dubai. Para encontrar outras obras impressionantes da humanidade foi realizada uma pesquisa feita com leitores da BBC.

Ao serem perguntados sobre 'Quais são alguns dos monumentos ricos arquitetonicamente menos conhecidos do mundo?', eles escolheram obras que formam a lista de maravilhas que, apesar de menos conhecidas, destacam-se pela sua beleza estética e arquitetônica. 


1 - Forte de Derawar, Bahawalpur, Paquistão.


O Forte de Derawar impressiona por suas proporções, contando com um perímetro de 1,5 mil metros e cerca de 30 metros de altura. A obra se destaca por sua estrutura formada por 40 bastiões no meio do deserto de Cholistão.

Até mesmo para muitos dos residentes do país, o Forte passa despercebido. Tanto pela dificuldade de transporte até o local, quanto pela necessidade de uma autorização prévia do líder da região para visitação da fortaleza.


2 - Palácio do Parlamento, Bucareste, Romênia.


Sendo o maior e mais caro edifício governamental do mundo, o Palácio do Parlamento da Romênia é um edifício pouco lembrado por seu histórico de construção. Seu idealizador foi Nicolae Ceausescu, um odiado líder comunista que governou o país. Erguido em 1984, possui como característica arquitetônica o estilo neoclássico com 12 andares (mais oito em subsolo), 3,1 mil salas e cobre uma área de 330 mil metros quadrados.

O projeto custou o valor sem precedentes de 3,3 bilhões de euros e, para ser construído, foi necessário que um quinto da área central da capital fosse demolido, inclusive vários bairros históricos, mais de 30 igrejas e sinagogas e cerca de 30 mil casas.


3 - Grande Mesquita de Djenné, Mali.


A Grande Mesquita de Djenné foi construída em 1907 e é uma das maiores estruturas da chamada arquitetura sudanesa, inteiramente feita em argila. Foi erguida quase inteiramente em tijolos de barro queimados pelo Sol, areia, gesso e argamassa de barro. O local recebeu o título de Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1988.


4 - Chand Baori, Abhaneri, Índia.


Um dos monumentos mais esquecidos da Índia, o Chand Baori, é um espetacular poço quadrado que desce por 13 andares e seus 3,5 mil degraus, com paredes forradas de escadas que se aprofundam por 30 metros até chegarem ao ponto mais baixo, onde há uma piscina com águas verdes. Construído pelo rei Chanda, da Dinastia Nikumbha, entre os anos 800 e 900 a. C., é um dos maiores e mais profundos monumentos desse tipo no mundo.


5 - Ponte Velha, Mostar, Bósnia-Herzegóvina.


A Ponte Velha cruza o rio Neretva no centro histórico de Mostar e foi construída com 456 blocos de uma pedra local, em 1566, pelo arquiteto turco ortomano Mimar Hajrudin. Possui 4 metros de largura, 30 metros de comprimento e está a 24 metros de altura. É um dos monumentos mais famosos do país por ter sido o coração da cidade por cerca de 430 anos e por sua história.

Acabou tendo parte de sua estrutura destruída nos anos 1990 devido a conflitos da Guerra da Bósnia, mas passou por uma reconstrução que manteve sua base como um dos mais belos exemplos da arquitetura islâmica na região.


6 - Grande Muralha da Índia


Poucos sabem, mas a Índia também possui uma Grande Muralha. Conhecida pelo nome de Kumbhalgarh, foi construída em 1443 por um monarca da época e se estende por 36 quilômetros, chegando a ter 4,5 metros de espessura em determinadas áreas. Foi construída para proteção de uma fortaleza situada próxima a uma montanha da região e sofreu uma extensão no século 19, abrigando cerca de 360 templos em seu interior.


7 - Mesquita de Xeque Lotfollah, Ispaã, Irã.


Localizada na Praça de Naqsh-e Jahan, na cidade de Ispaã, a deslumbrante e elegante mesquita foi construída entre 1603 e 1619 durante o reinado do Xá Abas 1º. O templo é batizado em homenagem ao sogro do monarca, o xeque Lotfollah, libanês e reverenciado estudioso do Islamismo.

A mesquita é considerada uma obra prima da arquitetura safávida iraniana por ser singular, não tendo minaretes ou um pátio central e possuindo uma estrutura cheia de curvas e decoração requintada.

Gostou das escolhas? Comente abaixo alguma obra bela que poucos se recordam.


Crédito/fonte da foto: BBC Brasil
Fonte do post: BBC Brasil

Comentários (1) -

  • Edivaldo Gonçalves Da Silva

    23/07/2015 11:45:33 | Reply

    Maravilhas muito dez.

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo