Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Lixo marinho vira negócio para empresa belga

Cerca de 24 mil toneladas de plástico são ingeridas por animais marinhos por ano.

Anualmente, pelo menos um milhão de aves marinhas e milhares de tubarões, tartarugas, golfinhos e baleias morrem por comer plástico. Pouquíssima coisa é feita em relação ao despejo e lixo nos oceanos.


 Enquanto as 8 milhões de toneladas de plástico recebidas pelo oceano estão longe de ser tratadas, redirecionadas a outro destino ou até mesmo ser motivo para levantar uma discussão para o fim dessa prática, a empresa Ecover trouxe uma solução extremamente eficiente.

Especializada em produtos de limpeza, a Ecover, em parceria com a Logoplaste, criou uma série de embalagens de garrafas PET feitas com uma mescla de resíduos de plástico descartado no mar e plástico de cana de açúcar. Embora as embalagens, inicialmente, sejam produzidas com 10% do material retirado do mar, as empresas têm como objetivo aumentar esse percentual gradativamente.



Depois do sucesso do projeto, as garrafas já são comercializadas no Reino Unido. A empresa deve lançar em breve um sabão líquido para lavar roupas feito a partir de óleo de algas, uma alternativa mais sustentável que o óleo de palma, que é utilizado atualmente na maioria dos detergentes.

Confira o vídeo que mostra a transformação do lixo para PET:


Crédito/fonte da foto: Ciclo Vivo
Fonte do post: Ciclo Vivo e The Splash 

 

Loading

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos da Galeria da Arquitetura.

(55 11) 3879-7777

Fale conosco Anuncie
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo