Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Lugarejo flutuante no meio do oceano

Para tentar fugir da agitação da cidade, o casal Wayne Adams e Catherine King optou por construir um vilarejo distante da civilização, associando medidas sustentáveis que os possibilitassem viver de forma autônoma.


A partir disso, a “Freedom Cove” foi concebida em 1992, na província canadense Colúmbia Britânica, onde só é possível chegar de barco. Composta por doze plataformas que sustentam estruturas de madeira, estufas e espaços vivos, interligados pelas passarelas de madeira, a pequena “vila” também possui características autossustentáveis. 


Isso porque durante o inverno, o casal coleta a água da chuva para beber e manter as necessidades higiênicas, enquanto no verão, utilizam a água doce proveniente da cachoeira próxima à baía.


A eletricidade também é amplamente abastecida através de 14 painéis solares e geradores de energia fotovoltaica, para manter as luzes acesas por 12 horas. Além disso, as numerosas estufas produzem legumes e frutas durante o ano inteiro, o que permite a Wayne e Catherine proverem o próprio alimento.