Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Modelos de jardim em espaços de trabalho

Redação Galeria da Arquitetura

Os ambientes corporativos adotam modelos de jardins variados. Em alguns, a área útil reservada é maior; em outros, o verde aparece de forma mais discreta. Independentemente da extensão, áreas mais arborizadas favorecem a convivência dos colaboradores, auxiliam na melhora da ordem ambiental ao redor e ajudam na obtenção de certificações ambientais.

Nos jardins alocados em áreas extensas, o ideal é escolher plantas que não precisam ser regadas com frequência e que aceitem bem o clima tropical do país, como cactos, azaleias, samambaias e palmeiras. A irrigação pode ser feita de forma automatizada ou por meio de sistemas drenagem.

Galeria da Arquitetura selecionou alguns projetos corporativos com jardins. Além de humanizar os ambientes, as plantas deram mais vida aos espaços. Confira!

ECB – ECO COMMERCIAL BUILDING BAYER



Para a constituição do jardim, os arquitetos aproveitaram-se de toda a vegetação original do terreno. Além disso, todo o restante do paisagismo foi projetado para que as espécies necessitassem de baixa manutenção e água. No interior do espaço, há ainda um espelho d’agua com espécies aquáticas e frutíferas, que favorece a umidade do local. Esse foi o primeiro edifício do programa mundial Eco Commercial Building com certificação LEED Gold.

Morumbi Corporate, por aflalo/gasperini arquitetos - Foto: Ana Mello

O projeto não possui apenas um jardim, mas uma praça semipública, utilizada como área de convivência. Foram adotadas espécies que demandavam baixo consumo de água e toda a irrigação é feita com águas pluviais reaproveitadas. O edifício recebeu a certificação LEED Gold graças ao atendimento de um conjunto de requisitos sustentáveis.  

Nova sede do Mercado Livre, por athié wohnrath e Estudio Elia / Irastorza (EEI) - Foto: Pregnolato & Kusuki

O jardim da sede do Mercado Livre equaliza o conceito do projeto: integração. Boa parte da área externa é tomada por um gramado baixo e muitas árvores para proporcionar mais sombra às áreas de convivência. Além disso, jardins internos também foram adotados. 

Edifício Vera Cruz II, por Collaço e Monteiro Arquitetos Associados - Foto: Divulgação Collaço e Monteiro A. A

A torre do edifício Vera Cruz II foi recuada para o fundo do terreno para dar espaço ao jardim. A vegetação, que mescla folhagens e flores, é voltada para a avenida principal a fim de viabilizar o conceito urbanístico green quarter, que une áreas públicas e privadas.


O Shopping Cidade São Paulo e a Torre Matarazzo também dispõem de uma praça semipública, com 2,3 mil m² de área arborizada. O espaço fica na lateral do terreno e preserva exemplares de árvores nativas que ocupavam o antigo casarão da família Matarazzo. 
Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo