Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

O charme do paisagismo outono-inverno


Redação Galeria da Arquitetura

A união da arte e da técnica de planejar e organizar a paisagem para que as pessoas aproveitem os espaços livres é chamada de paisagismo. Com base nessa definição, Benedito Abbud, Ana Paula Magaldi e Orlando Busarello, do escritório Slomp & Busarello Arquitetos, dão dicas de como idealizar projetos paisagísticos para as estações outono-inverno.

“Priorizar o uso que se fará do jardim define o rumo do projeto”, explica Abbud. O arquiteto e paisagista enfatiza que é preciso mapear a destinação de cada área dentro do terreno e definir os tipos de equipamento e de vegetação escolhidos especificamente para cada situação. “O ideal é que se planeje um jardim para a vida toda, que ofereça novos atrativos e surpresas a cada estação, e cresça sob o olhar dos seus cuidadores”, complementa.

                                                                                                                        Crédito: Mariana Mareth / Cidade Jardim

Tipos de vegetação e detalhamento

De acordo com Busarello, é necessário fazer uso de espécies vegetais nativas e exóticas, adaptáveis à região, e resistentes a baixas temperaturas e geadas. “Magnólias, plátanos, carvalhos, coníferas, liquidambar, azaleias, rododendros, camélias e fotínias caem muito bem em projetos de paisagismo outono-inverno”, destaca.

Também é essencial considerar o vento, a insolação, o tipo de solo e os aspectos cênicos do lugar, além de usos e funções. Se todas as escolhas forem feitas com base nessas espécies e aspectos, o projeto exigirá pouca manutenção. “Ela será necessária apenas para a poda de algumas espécies e para limpeza, adubação e eventuais trocas”, explica o arquiteto.

                                                                                            Crédito: Raphael Briest / CEIC - Centro Empresarial Itaú Conceição

O cair das folhas

A paisagista Ana Paula Magaldi conta que as plantas no outono-inverno estão no estado chamado de repouso vegetativo, ou seja, em baixa atividade metabólica. Nos meses mais frios, a adaptação da planta junto à adubação é lenta, pois o preparo e o controle de PH do solo são mais complexos. Por isso, o trabalho de um especialista agrônomo pode ser necessário.

“Nessa época do ano acontece a queda de folhas, principalmente nas espécies de caducifólias, ou seja, plantas que perdem folhagens – ou que ‘caducam’. Sendo assim, o rastelo deve ser frequente”, explica a arquiteta. “Será preciso colher as folhas do chão, mas, em compensação, criam-se belos cenários com os caminhos formados pelos ‘tapetes’ coloridos”, complementa Abbud. 

                                                                                                               Crédito: Divulgação/Slomp & Busarello Arquitetos

Cenários aconchegantes

Com plantas de grande porte, os projetos de paisagismo criam ambientes protegidos do frio, originando áreas externas com espaços de convivência mais fechados. Para Ana Paula, a madeira é, nesses casos, um aliado. “Ela é importante para projetos de outono-inverno, pois é isolante térmico e traz sensação de aconchego”, destaca.

“A paisagem nessas estações é dinâmica e rica, com cores, luzes e sombras que mudam os cenários dos jardins o tempo todo”, ressalta Busarello. 

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo