Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Pintura em degradê: dicas, vantagens e aplicações. Confira!

Crédito: Photographee.eu/shutterstock

Redação Galeria da Arquitetura

Tem gente que acha sem graça a parede comum, aquela que é pintada com uma única cor e sem uma textura diferente. Para mudar isso, a pintura em degradê está cada vez mais em alta na decoração de interiores. Afinal, a técnica de sobreposição de cores quebra a monotonia do ambiente, dá um toque descontraído e confere modernidade ao projeto.

Que tal arriscar? Para te convencer, conversamos com dois especialistas que vão listar alguns diferenciais da pintura em degradê, dar dicas e indicar o passo a passo de aplicação. Acompanhe!

Criando ambientes

Segundo Carla Satie Sugahara, arquiteta e urbanista, tons leves devem ser utilizados em locais que requerem silêncio e concentração, enquanto os vibrantes devem ser explorados em espaços mais agitados e que demandam energia.

“Para ambientes de relaxamento, como dormitórios, indico azul, verde e lilás. Já para áreas de trabalho e estudo, por exemplo, o melhor é utilizar cores estimulantes, como laranja e amarelo. Deve-se dosar as tonalidades tanto no sentido mais claro e mais escuro, quanto no sentido de cores mais abertas e fechadas”.

Gregório Bastos, gerente de produtos, que também atua na área de Trade Marketing e como assistente técnico das tintas Eucatex, compartilha da mesma opinião. Mas alerta: inserir muitas cores diferentes em um único ambiente pode transmitir sensação de cansaço e confusão.

“A pintura em degradê pode ser aplicada em qualquer ambiente, mas por acrescentar muita informação visual é recomendada para uma única parede. Assim, é possível colocá-la em harmonia com as superfícies que têm cores neutras. Apesar disso, se o degradê aparecer de forma mais sútil – quando a diferença entre os tons claros e escuros não for tão grande –, é possível usar em mais de uma parede”, diz.

A técnica, comum em paredes de áreas internas, também pode ser explorada em outras superfícies, como móveis e acessórios de cama, mesa e banho. É uma alternativa boa e econômica para quem deseja inovar o ambiente sem precisar investir em uma reforma.  

Check list

 Pinte somente a parede que se destaca no ambiente. Por exemplo: no quarto, a parede da cabeceira; no hall, a parede do quadro, do espelho ou do aparador.

 O tom ideal é aquele que o morador se sentir mais confortável. Mas não exagere na mistura de cores para não correr o risco de deixar o ambiente com aspecto muito pesado.

✓ Utilize cores semelhantes para obter o efeito degradê.

✓ Para obter melhor resultado na transição de cores, utilize um compressor, pois ele permite que a mudança de tons não fique tão “marcada” na superfície.

 Brinque com as alturas e as cores dos objetos para que o espaço não dê a impressão de monotonia.

 Elementos brancos e amadeirados, assim como plantas, combinam com a maioria das cores.


Crédito: Africa Studio/shutterstock

10 passos para aplicar a pintura em degradê

1.       Antes de pintar, cubra os móveis, as maçanetas e o piso;

2.       Lixe a parede e remova o pó com uma vassoura ou pano levemente umedecido;

3.       Divida a parede de forma horizontal para a aplicação de cada cor;

4.       Dilua a tinta conforme indicado na embalagem;

5.       Comece pela cor mais clara. De cima para baixo, aplique primeiramente nos cantos com um pincel e depois com um rolo de lã;

6.       Aplique a segunda cor, encostando-a na outra, sem ficar sobreposta. Siga a largura da primeira faixa e não deixe nenhum espaço entre as cores;

7.       Com um pincel, faça movimentos horizontais e diagonais nas emendas das cores para mesclá-las e suavizá-las.

8.       Com um rolo seco, suavize as emendas e remova os riscos do pincel com movimentos iguais;

9.       Aplique a terceira cor, repetindo os procedimentos anteriores;

10.   Após 4 horas, aplique a segunda demão, repetindo todo o processo.

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo