Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Proteção de sacada: combinação de segurança e design


Residência AB, de Telles Arquitetura – Foto: Eduardo Pozzela

Redação Galeria da Arquitetura

Especificar guarda-corpos para proteção de sacadas, garantindo a segurança dos usuários e uma boa estética ao projeto, requer alguns cuidados com relação ao tipo de material escolhido e aos tipos de fixação na estrutura. De acordo com a NBR 14.718:2008 – que regula esse tipo de estrutura e estabelece medidas de segurança –, os elementos são obrigatórios em qualquer desnível com mais de 1 m de altura.

Ancoragens, pontaletes, fixadores (parafusos, porcas, arruelas etc.) e a própria estrutura do guarda-corpo, caso seja constituída de aço, devem ser especificados com material que resista às intempéries.

A altura mínima fixada em norma para as proteções é de 1 m. Além disso, as proteções de sacadas não devem apresentar ornamentos ou travessas que possam ser utilizados como degraus. Em caso de guarda-corpo constituído de gradis, a distância entre as barras não deve ser maior que 110 mm.

Materiais

Alvenaria, materiais metálicos – aço, ferro e alumínio –, vidro e madeira são as soluções comumente empregadas para proteger sacadas, sempre em harmonia com o partido arquitetônico adotado em projeto. Alguns deles, no entanto, merecem mais cuidado na hora da especificação. 



É o caso do vidro. Os modelos ideais para guarda-corpos são os temperados, os temperados laminados e os aramados. Os vidros temperados, no entanto, precisam ser protegidos por uma película de segurança, para garantir que em caso de quebra os estilhaços não se espalhem. 
Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo