Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Sítio Burle Marx poderá concorrer a Patrimônio Mundial em 2020

O Sítio Burle Marx possui 405 mil m² (foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Texto: Lucas Barbosa

18/03/2019 | 10:07 – Tombado desde 2000 como Patrimônio Cultural Brasileiro, o Sítio Burle Marx – localizado na Barra de Guaratiba, no Rio de Janeiro – busca agora se tornar Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

A documentação para a candidatura do local foi preparada durante todo o ano de 2018 e conta com 602 páginas. O dossiê foi encaminhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) à Unesco em janeiro. Agora, cabe à entidade internacional analisar os documentos, o que deve ocorrer durante a reunião do Comitê do Patrimônio Mundial que ocorrerá no mês de julho em Baku, no Azerbaijão.

Cláudia Storino, diretora do Sítio Burle Marx, disse que, se os documentos estiverem adequados, a Unesco encaminhará especialistas para analisar o complexo a fim de validar e verificar se não faltam informações, além de sanarem possíveis dúvidas.

Se tudo estiver dentro do previsto, a candidatura do sítio será avaliada apenas em 2020. Isso se deve ao fato de o comitê se reunir apenas uma vez ao ano e de cada país-membro da Unesco poder indicar apenas um bem para concorrer por ano – o Brasil já está na disputa deste ano com a indicação da cidade histórica de Paraty (RJ).

Sítio Burle Marx

Com 405 mil m², o Sítio Burle Marx possui uma coleção botânica com mais de 3 mil espécies oriundas de diversas partes do mundo. A área aberta aos turistas corresponde a 1.800 m², que por meio de uma visitação guiada podem conhecer a Capela Santo Antônio da Bica, concebida em 1681; a Casa Principal, que está preservada como na época em que Burle Marx a ocupou; a Cozinha de Pedra; e o Ateliê.

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo