Justiça libera a retomada da obra de desmobilização do Autódromo Internacional de Curitiba

Retirada das arquibancadas, de partes da pista e dos boxes foi reiniciada nesta semana. No futuro, o terreno receberá um bairro planejado concebido pelo arquiteto Jaime Lerner
0 Compartilhamentos
0
0
0

Perspectiva do Bairru PARC no terreno do Autódromo Internacional de Curitiba

O projeto batizado de Bairru PARC deve receber os primeiros moradores entre 2025 e 2026 (Foto: Divulgação/Bairru Urbanismo)

Texto: Vinícius Veloso

12/01/2022 | 14:12 — Após decisão proferida na última sexta-feira (7) pelo desembargador José Laurindo de Souza Netto, do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR), foi liberada a retomada da obra de desmobilização do Autódromo Internacional de Curitiba. Os trabalhos estavam suspensos desde dezembro por determinação da Vara da Fazenda Pública, que solicitou a interrupção até que o Conselho Municipal de Patrimônio Cultural concluísse o processo de tombamento do local. Com a nova autorização judicial, a retirada das arquibancadas, de partes da pista e dos boxes foi reiniciada nesta semana. O terreno será ocupado no futuro por um bairro planejado concebido pelo arquiteto Jaime Lerner em conjunto com a incorporadora Bairru Urbanismo.

De acordo com a Prefeitura de Pinhais, cidade da Região Metropolitana de Curitiba onde está o autódromo, o projeto vai conciliar o interesse urbanístico e a preservação histórico-cultural. Por meio de nota, a gestão municipal informou que já houve um processo administrativo com o pedido de tombamento que foi indeferido. Além desse, existe uma segunda solicitação em trâmite, que está sob análise dos organismos responsáveis. Por outro lado, a Vara da Fazenda Pública indicou que a liminar solicitando a paralisação das obras pretendia “proteger o patrimônio público para evitar a irreversibilidade das ações dentro da área objeto do pedido de tombamento e evitar que o bem público sofra alterações”.

Bairro planejado

O empreendimento que será executado no terreno do autódromo foi batizado de Bairru PARC e terá como princípios a identidade, a diversidade, a coexistência, a sustentabilidade e a mobilidade. A expectativa é que o local tenha 2,7 mil unidades residenciais e que os primeiros moradores recebam as chaves entre 2025 e 2026. Segundo a Bairru Urbanismo, o projeto receberá investimento que deve chegar a R$ 1 bilhão. Como contrapartida para a cidade, a incorporadora também financiará duas obras viárias para desafogar o trânsito em Pinhais.

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *