Depois de meio século de produção, megaescultura é aberta ao público

A obra de Michael Heizer possui um quilômetro e meio de comprimento e quase 800 metros de largura
0 Compartilhamentos
0
0
0

A escultura começou a ser construída ainda em 1972, quando Heizer tinha 27 anos (Foto: Ben Blackwell/Divulgação)

Texto: Naíza Ximenes

25/08/2022 | 15:51 — Depois de mais de meio século de produção, a megaescultura de Michael Heizer foi concluída e será aberta ao público, no dia 2 de setembro, em uma região remota do deserto de Nevada (EUA). Batizada de City, a obra possui um quilômetro e meio de extensão e quase 800 metros de largura.

A escultura começou a ser construída ainda em 1972, quando Heizer tinha 27 anos. Formada por montes e depressões, feitas de terra compacta, rocha e concreto, City representa a reunião de alguns dos muitos interesses do artista: as construções tradicionais de alguns povos originários da América do Norte, as cidades pré-colombianas da América Central e do Sul e seus estudos da história das construções egípcias.

A obra adquiriu um status célebre no mundo artístico, já que levou anos para ser concluída. Isso porque Heizer precisou de décadas para adquirir lotes no deserto que fossem próximos uns dos outros, consolidando o local para a expressão artística. 

Com grande parte dos materiais empregados extraídos da própria terra, City emprega, ainda, elementos da paisagem urbana dentro das escavações. A escultura passou a ter tanta importância que foi considerada uma das causas mais relevantes na proteção da região no entorno, conceituada como patrimônio nacional em 2015. 

A construção, originalmente financiada pelo próprio artista, passou a ser acompanhada por outros indivíduos e instituições, incluindo a renomada galerista Virginia Dwan, a Dia Art Foundation, o Los Angeles County Museum of Art e a Lannan Foundation. 

A Triple Aught Foundation, ONG responsável pela gestão, manutenção e anúncio da conclusão da construção, foi criada em 1998 para ajudar a concluir a edificação da escultura — e, hoje, é uma das maiores atuantes na preservação do ambiente.

Segundo o The New York Times, a preservação estimulada pelas instituições foi uma reação a iniciativas que propunham a construção de um sistema ferroviário nacional no local, com o intuito de transportar resíduos nucleares próximo à Montanha Yucca.

Michael Heizer é conhecido por produzir grandes esculturas de terraplenagem ao ar livre e por seu trabalho com rocha, concreto e aço. Antes de City, foi uma figura influente na segunda metade do século XX. Seu trabalho mais conhecido é Double Negative, uma obra de arte monumental criada a partir do espaço negativo resultante da explosão de 240 mil toneladas de rocha das encostas da chapada Mormon, no estado de Nevada.

As reservas antecipadas para visitas já estão disponíveis para datas entre 2 de setembro e 1 de novembro.

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *