Trajetória de mudanças climáticas é tema da 10ª Bienal de Arquitetura de Roterdã

A exposição, que terá duração de sete semanas, coloca as mudanças ecossistêmicas sob as perspectivas do passado e do futuro
0 Compartilhamentos
0
0
0

Um extenso programa de visitas guiadas, palestras e debates se junta às exposições e visa promover diálogo, acúmulo de conhecimento e experimentação (Foto: Jacqueline Fuijkschot/Reprodução)

Texto: Naíza Ximenes

11/10/2022 | 17:00 — A 10ª edição da Bienal de Arquitetura de Roterdã abre as portas para a população em uma exposição sobre o passado e o futuro de mudanças climáticas. Com o tema “It’s About Time” — em português, “Já Estava na Hora” —, a mostra, que ficará em cartaz pelas próximas sete semanas, exibe possibilidades realistas de um futuro habitável, considerando um cenário atual de consequências climáticas alarmantes.

A curadoria da bienal descreve possibilidades. Ela segue a mesma premissa do relatório “Os Limites do Crescimento”, de 1972, que considera diferentes nuances — o aumento exponencial da população, da produção agrícola e da extração de recursos — e descreve os impactos dessas condutas. Utilizando do mesmo princípio, a exposição coloca as mudanças ecossistêmicas sob duas perspectivas: a aplicação delas no passado e no futuro.

O visitante da “It’s About Time” — título que faz alusão à crescente pressão do tempo sob a qual estamos tentando neutralizar os efeitos das mudanças climáticas e conectá-los a outros desafios sociais, segundo a curadoria — encontrará três diferentes abordagens: análise da pesquisa histórica (desde 1972), apresentação de exemplos práticos inspiradores (em 2022) e cenários futuros (até 2072).

Assim, a Bienal ainda abre espaço a diferentes escritórios de arquitetura, para que, nesse âmbito, possam oferecer soluções ambiciosas para as problemáticas ambientais, mas que sejam amplamente aplicáveis, enraizadas em pesquisas de longo prazo. Para expor sua proposta, os idealizadores dos projetos deveriam desenvolvê-los em estreita colaboração com atores locais, tomando o aspecto especial das questões socioecológicas como ponto de partida e usando o tempo como ferramenta no processo de design.

São 50 designers, arquitetos e pesquisadores na exposição principal, que abordam de maneira inspiradora questões relacionadas ao futuro do planeta. “A exposição identificou três atitudes de design: o Ancestral, o Ativista e o Acelerador. O Ancestral, exemplificado por Anupama Kundoo, conecta o passado com o presente e o futuro, retarda os processos de construção e trabalha com mão de obra e materiais locais. O Ativista busca uma abordagem prática, muitas vezes resultando em iniciativas de baixo para cima e projetos comunitários que intervêm na esfera pública ou na mídia. O Acelerador implanta tecnologia para acelerar a transição de sistemas existentes por meio da inovação. Ao apresentar essas diferentes abordagens, a bienal entende que mudanças significativas requerem uma combinação de atitudes para serem efetivas”, contam os responsáveis. 

Esta edição da Bienal de Arquitetura de Roterdã acontece de 22 de setembro a 13 de novembro de 2022, nos portos da cidade de Roterdã. Um extenso programa de visitas guiadas, palestras e debates se junta às exposições e visa promover diálogo, acúmulo de conhecimento e experimentação.

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *