24ª edição da Premiação IABsp abre inscrições

A participação é aberta para associados do IAB de qualquer estado do país, que tenham trabalhos e propostas executados em SP a partir de janeiro de 2017. Os candidatos podem se associar durante o processo
0 Compartilhamentos
0
0
0

Segundo a coordenação do concurso, um mesmo titular poderá inscrever quantos trabalhos desejar, desde que não se aplique para mais de uma categoria (Foto: IABsp/Divulgação)

Texto: Naíza Ximenes

16/11/2022 | 17:01 — O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) abriu as inscrições para a 24ª Premiação IABsp, um tradicional e reconhecido prêmio da área de arquitetura e urbanismo. Os candidatos possuem até o dia 21 de novembro para se inscreverem gratuitamente pelo site

Para participar, eles devem ser associados do IAB de qualquer um dos estados do país e ter trabalhos e propostas executadas no estado de São Paulo a partir de janeiro de 2017. É possível se associar durante o período das inscrições. 

O coordenador desta edição do prêmio, Jaime Solares, explicou quais são os requisitos para a participação. “Valem arquitetos e urbanistas com produções individuais, autônomos, organizados em escritórios, assessorias técnicas, coletivos, cooperativas, grupos de pesquisa, grupos de extensão e outras formas de organização de trabalho coletivo. E também organizações não governamentais, órgãos e empresas públicas, empresas privadas e coletivos, desde que tenham pelo menos um autor ou coordenador técnico arquiteto. Não serão aceitos trabalhos finais de graduação, dissertações de mestrado, teses de doutorado e de pós-doutorado, assim como projetos de iniciação científica e de extensão universitária.”

A coordenação do concurso também afirmou que um mesmo titular poderá inscrever quantos trabalhos desejar, desde que não se aplique para mais de uma categoria. “Esta edição procura consolidar os avanços da edição nacional, celebrada em 2021, afinando as categorias e subcategorias à realidade de nossa profissão”, afirma Hannah Machado, Co-presidente do IABsp.

As quatro categorias da premiação são:

Edificações; 

Interiores e design; 

Urbanismo, planejamento e cidades; e 

Cultura arquitetônica.

Juntas, elas definem um conjunto de práticas profissionais no campo da arquitetura e do urbanismo, que serão avaliadas por comissões julgadoras específicas. Essas categorias possuirão, ainda, subcategorias, que divergem em quesitos de expressões, escopos, objetivos e objetos distintos.

Edificações

A comissão avaliadora do grupo Edificações avaliará obras concluídas e projetos de edificações nas diversas tipologias e programas. Eles são:

Residencial e habitação de interesse social: habitação unifamiliar, multifamiliar, habitações de interesse social ou qualquer programa residencial de qualquer escala, além de Assistência Técnica de Habitação de Interesse Social (ATHIS).

Equipamentos, indústria e serviços: equipamentos públicos e privados institucionais, culturais, educacionais entre outros; programas industriais tais como fábricas, plantas fabris, galpões, laboratórios, centrais de distribuição; além de programas ligados ao setor de serviços, tais como mercados, shoppings centers, lojas, clínicas, escritórios e espaços ligados ao setor terciário ou terciário superior.

Restauro, retrofit e requalificação: restauro, retrofit, requalificação, reforma, ampliação, renovação de edifícios considerados patrimônio cultural de caráter histórico, necessariamente tombados em ao menos uma das instâncias públicas de proteção ao patrimônio cultural (municipal, estadual ou federal).

Interiores e Design

Na categoria Interiores e Design, por sua vez, serão consideradas as diferenças entre obras construídas e projetos de interiores, ou que agenciam temporalidades e escalas reduzidas. Elas são:

Arquitetura de interiores:  arquitetura de interiores e decoração, notadamente reformas ou qualificação de espaços internos novos.

Arquitetura efêmera: projetos com ciclo de vida determinado, com montagem e desmontagem, destinados a um uso esporádico ou terminativo, como cenografias, expografias, instalações, stands de venda e pavilhões.

Objeto: desenho industrial, de mobiliários e de objetos em geral.

Urbanismo, Planejamento e Cidades

Já em Urbanismo, Planejamento e Cidades a avaliação será de projetos, obras, planos, programas e ações, executados ou não, voltados ao espaço público, ou privado de uso coletivo. Eles são:

Desenho urbano e paisagismo: projetos de reestruturação urbana; de espaços públicos; de infraestruturas; de sistemas urbanos ambientais; de áreas verdes e espaços livres, seja de uso público ou privado.

Planejamento urbano: planos de ordenação territorial; planos diretores municipais; programas e planos de políticas setoriais; governança e gestão urbana.

Ativismo urbano Travessias: em consonância com as agendas políticas discutidas na 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, serão avaliadas em separado as propostas que envolverem as ações de ativismo urbano e iniciativas de promoção do direito à cidade.

Cultura Arquitetônica

Por fim, em Cultura Arquitetônica, serão considerados os produtos de iniciativas artísticas, culturais, acadêmicas e educacionais de difusão, reflexão e ensino pertinentes ao campo da arquitetura e do urbanismo.

Publicação: de diversos formatos e fins (que tenham código ISBN), como livros, compêndios, manuais e periódicos.

Visualidades:  produtos e processos com temáticas relativos ao campo da arquitetura e urbanismo, como mostras de fotografia; produções audiovisuais; exposições de artes plásticas e ilustrações; projetos de comunicação visual, e sinalização.

Técnicas e tecnologia: pesquisa concluída ou produção de novos materiais; projetos estruturais inovadores; softwares, aplicativos e equipamentos; patentes; projetos e programas de inovação social; pesquisas e construção que utilizem técnicas tradicionais locais, que incluem a valorização de saberes autóctones ou que discutam a sustentabilidade na prática.

Desde a primeira edição, em 1967, a Premiação IABsp procura contemplar projetos e obras referenciais, ao identificar os avanços e desafios enfrentados na produção da arquitetura. Busca também premiar propostas engenhosas e significativas, principalmente aquelas que contribuem para o desenvolvimento da técnica, do conhecimento e do ambiente construído em diálogo com a natureza, sociedade, economia e cultura em todo o território nacional.

Para conferir mais detalhes, clique aqui

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.