Os principais estilos arquitetônicos e suas características

Saiba mais sobre cada estilo e conheça algumas obras espalhadas pelo mundo, que são a representação física de cada arquitetura
0 Compartilhamentos
0
0
0
Os principais estilos arquitetônicos e suas características
Os estilos arquitetônicos são inspirados pela economia, política e cultura de determinado período e local  (Foto: olakamyk)

Texto: Agatha Menes

A arquitetura conta a história!

Isso é “simples” explicar…

Ao longo dos séculos, os diferentes estilos arquitetônicos empregados numa construção criaram um padrão estético único. As inspirações para isso foram diversas: econômicas, políticas e culturais de determinado período e local.

Conheça, a seguir, os principais estilos arquitetônicos:

  1. Clássico
  2. Romântico
  3. Gótico
  4. Renascentista
  5. Colonial
  6. Barroco
  7. Rococó
  8. Neoclássico
  9. Art Nouveau
  10. Art Déco
  11. Moderno
  12. Pós-moderno
  13. Minimalismo

1 – Clássico

Visão lateral da Acrópole de Atenas durante o dia
A arquitetura Clássica é datada dos séculos VII a.C e IV a.C (Foto: Nicola)

A arquitetura Clássica é datada dos séculos VII a.C e IV a.C, na Grécia Antiga. Notabilizam-se o mármore, as cores sóbrias, a simetria, a harmonia e, claro, as famosas colunas que se dividem em três modelos: dórica, jônica e coríntia.

Palácios e templos têm muito dessa arquitetura, como o Partenon, construído com mármore branco e 46 colunas na Acrópole de Atenas, no século V a.C.

Atualmente, o estilo arquitetônico Clássico é visto em obras que exploram cores claras, materiais nobres e verticalização, criando mais perspectiva.

2 – Romântico

Fachada da Catedral de Durham, no Reino Unido, com árvores e amplo gramado
O estilo arquitetônico Romântico utiliza-se de muitas pedras e janelas pequenas (Foto: Wellington)

O estilo arquitetônico Romântico foi muito utilizado entre os séculos VI e XI. Foi um período marcado por muitas guerras na Europa. Por isso, as construções daquela época exploravam pedras, paredes grossas, janelas pequenas, abóbadas e arcos semicirculares.

A Catedral de Durham, no Reino Unido, é um grande exemplo. Porém, é possível encontrar em diferentes países outras igrejas inspiradas nesse estilo.

3 – Gótico

Imagem aérea da Catedral da Sé, com prédios e árvores ao redor
A Catedral da Sé, em São Paulo, segue o estilo arquitetônico Gótico (Foto: yorgen67)

A arquitetura Gótica nasceu no século X, na França, quando ainda era conhecida como “Obra Francesa”. Diferentemente do estilo Romântico, é marcada pelo uso de paredes leves, vitrais, abóbadas ogivais e janelas amplas, que privilegiam a iluminação natural.

Além disso, por ser muito utilizada em catedrais e igrejas, possui como principais recursos a verticalização, fazendo referência à proximidade com o céu.

Construída entre 1913 e 1967, a Catedral da Sé, em São Paulo (SP), é uma das obras brasileiras que segue o estilo arquitetônico Gótico.

4 – Renascentista

Corredor da Biblioteca Laurenziana, na Itália
O estilo Renascentista resgata as características do estilo Clássico (Foto: Paulo Nabas)

O estilo Renascentista surgiu na Itália, no século XVI, “negando” os estilos antecessores. Dessa maneira, resgatou elementos clássicos, como colunas e arcos, na construção de grandes cúpulas.

A Biblioteca Laurenziana, na Itália, foi projetada por Michelangelo e segue as principais características renascentistas.

5 – Colonial

Entrada da Igreja Nossa Senhora do Pilar, em São Paulo (SP)
O estilo Colonial foi implantado no Brasil em 1500, com a chegada dos portugueses (Foto: Alexandre)

Com a chegada dos portugueses no Brasil, em 1500, o estilo arquitetônico Colonial foi implantado nas construções do nosso País.

Marcado por varandas, telhas de barro, fachadas claras, ornamentos coloridos e grandes janelas, esse estilo pode ser observado em várias casas e igrejas, como a Igreja Nossa Senhora do Pilar, em São Paulo (SP).

Veja também: Azulejo português: história, tipos e modernização

6 – Barroco

Fachada da Igreja de São Francisco de Assis, em Outro Preto, Minas Gerais
O Barroco surgiu junto com o movimento de Contrarreforma (Foto: Lucian Milasan)

O Barroco surgiu no início do século XVI, com o movimento de Contrarreforma. Ele se diferencia do Renascentista, pois explora a dramaticidade, as cores claras e escuras, os desenhos curvos e a dualidade.

O Barroco também é muito marcante em locais religiosos, como a Igreja de São Francisco de Assis, construída em 1771, em Ouro Preto, Minas Gerais.

7 – Rococó

Fachada do Hôtel de Soubise, na França
O estilo Rococó possui muitos ornamentos, curvas, conchas e flores (Foto: Nikolay N. Antonov)

Já o Rococó, com início no século XVIII, apresenta as mesmas características do Barroco, porém com mais exageros. Assim, as construções possuem mais ornamentos, curvas, conchas e flores.

Diferentes obras foram construídas seguindo esse estilo, como o Hôtel de Soubise, na França, que foi concebido por Germain Boffrand, em 1739.

8 – Neoclássico

Vista do mar e da Igreja San Simeone Piccolo, na Itália
O estilo Neoclássico surgiu com a Revolução Industrial (Foto: Fotokon)

Ainda no século XVIII, o estilo Neoclássico surgiu com a Revolução Industrial. A intenção foi resgatar o estilo Clássico, com simplicidade, simetria, materiais nobres, colunas e frontões.

Esse estilo atravessou fronteiras e está presente em diferentes locais do mundo. Destaque para a Igreja San Simeone Piccolo, na Itália.

9 – Art Nouveau

Parte da fachada da Casa Milà, na Espanha
O estilo Art Nouveau é marcado pelas cores e traços curvos (Foto: Andrei Antipovz)

O último estilo arquitetônico do século XIX — e o primeiro do século XX — é o Art Nouveau. Ele foi inspirado nas flores, plantas, animais e natureza em geral. É colorido e possui traços mais curvos e orgânicos.

A Casa Milà, na Espanha, foi projetada por Antoni Gaudí seguindo as características da Art Nouveau.

10 – Art Déco

Parte da fachada do Teatro de Champs-Élysées, na França
O Teatro de Champs-Élysées segue o estilo arquitetônico Art Decó (Foto: zigres)

O Art Decó surgiu após o início da Primeira Guerra Mundial, quando muito se investia em tecnologias. Assim, o estilo é conhecido pelas construções de formas modernas, com elementos orgânicos e de luxo. Além disso, utiliza-se muito o concreto armado.

O Teatro de Champs-Élysées, assinado em 1913 pelo arquiteto Auguste Perret, é um exemplo clássico desse estilo arquitetônico.

11 – Moderno

Visão geral da fachada do Palácio da Alvorada, em Brasília (DF)
O Modernismo foi marcado pela Semana de Arte Moderna de 1922 (Foto: liliya Mitskavets)

Com diferentes origens (estilo alemão Bauhaus, holandês De Stijl e francês Le Corbusier), o Modernismo foi marcado pela Semana de Arte Moderna de 1922. Explora linhas simples, aço, vidro e concreto armado.

Um exemplo brasileiro da construção moderna é o Palácio da Alvorada, em Brasília (DF).

12 – Pós-moderno

Vista do mar para o Edifício SIS, na Inglaterra
O estilo Pós-moderno utiliza muitas cores, curvas e assimetria (Foto: Mistervlad)

Com a Grande Depressão, em 1929, um novo estilo surgiu: o Pós-moderno, que é marcado pelas formas curvas, cores marcantes e estruturas assimétricas. Como referência, destaque para o Edifício SIS, na Inglaterra.

13 – Minimalismo

Vista interna da Church of the Light, no Japão, com entrada de luz natural na parede formando a imagem de uma cruz
A Church of the Light segue o design Minimalista (Foto: Buou)

Um dos mais recentes estilos arquitetônicos é o Minimalismo. Criado entre 1950 e 1960, ele valoriza o alto padrão, a iluminação natural, a simplicidade, as linhas retas e as cores sóbrias.

Diferentemente de outras igrejas, a Church of the Light, no Japão, segue o design minimalista com fendas, que formam o desenho da cruz e possibilitam a entrada da iluminação natural.

E aí, nos conte: qual é o seu estilo arquitetônico favorito?

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *