Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Projetos com vãos livres: desafios e vantagens


Crédito: Mario Grisolli

Redação Galeria da Arquitetura

Um vão livre é a distância entre os pontos de apoio de uma cobertura, concebidos por um sistema estrutural adequado, seguro e econômico. Cada projeto arquitetônico pode conter um ou mais sistemas e materiais apropriados e, cabe ao projetista, eleger a solução que apresente o melhor desempenho.

Dificuldades e opções

O arquiteto Matheus Seco, sócio-fundador do escritório BLOCO Arquitetos Associados, explica que existem diversas soluções técnicas para vencer grandes vãos e que combinam diferentes tipos de materiais aplicados em lajes, colunas e métodos construtivos. “A escolha adotada deve ser a mais adequada às necessidades do projeto e suas exigências por maior flexibilidade de ocupação ou rapidez de execução”, completa.

Para a construção de supermercados ou galpões industriais, por exemplo, o prazo de construção é mais curto e a necessidade de ter grandes áreas sem pilares direcionam os resultados estruturais adotados. Já em edifícios residenciais, normalmente os grandes vãos são demandados de forma pontual para lajes de transição ou para livrar áreas específicas de pilotis intermediários. 

Crédito: cifotart / Shutterstock.com

O vão livre do Masp, projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, possui 70 m

Crédito: Nelson Kon

O vão livre da Casa Paraty, projeto arquitetônico do escritório studio mk27, mede 27 m

Estruturas e materiais

A qualidade e a resistência do aço e do concreto são fatores que facilitam a escolha dos materiais nos vãos livres. Seco destaca dois projetos de edifício de seu escritório em andamento, que têm programas similares. “Em ambos estamos utilizando vãos estruturais que nos permitem construir subsolos e andares-tipo sem a utilização da laje de transição. Os mesmos vãos adequados para subsolos de garagem e serviços serão os vãos internos dos escritórios”, explica.

Um deles será estruturado com aço laminado e lajes do tipo steel frame, as quais dispensam escoramento. No outro, a estrutura terá vigas e pilares pré-fabricados em concreto e lajes pré-fabricadas em concreto protendido. “Cada um tem suas vantagens e desvantagens. A análise criteriosa delas é essencial na hora de definir o caminho a seguir desde o início do projeto”, conclui o arquiteto.

 

Saiba mais: Projetos de grandes vãos devem considerar materiais e sistema estrutural

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo