Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Reutilização por um mundo melhor


A quantidade de lixo aumenta com muita rapidez, e os Estados Unidos lideram o ranking dos países responsáveis pela maior geração de lixo do mundo.

Cada cidadão produz ¾ de tonelada de lixo em apenas um ano – o que em NY significaria o equivalente a 33.000 toneladas de resíduos por dia. Só o papel que se gasta a cada duas semanas é suficiente para preencher o edifício do Empire State.

Frente a este cenário o arquiteto estadunidense Mitchaell Joachim propôs uma estratégia sustentável, que teria como foco a melhoria na gestão de resíduos.

 

O objetivo é reduzir as cifras e criar uma melhoria no manejo do lixo nas cidades. Por isso, Joachim defende que o ideal é enfrentar o problema diante de duas perspectivas. A primeira seria de que os produtos das empresas viessem com o seu ciclo de vida especificado, descrevendo se podem ou não ser reutilizados. Por exemplo, as garrafas PET, que podem ser reutilizadas como acessórios de iluminação e vasos de planta nas paredes, poderiam conter essa sugestão na embalagem.

A segunda – inspirada no que acontece no Parque Hiriya, em Israel – sugere que as cidades que utilizam o lixo como fonte geradora de energia deveriam criar programas de incentivo para que as pessoas pudessem visitar as usinas de incineração, aumentando a consciência sobre o potencial do lixo.

Outra ideia do arquiteto é que quando o lixo for acumulado e prensado, se transforme em cubos ou outras formas que possam auxiliar na construção de novas estruturas.


Crédito/fonte da foto: Decoesfera
Fonte do post: Plataforma Urbana e BBC


Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo