10 projetos arquitetônicos de pé-direito marcante para inspirar

Selecionamos 10 projetos arquitetônicos de pé-direito marcante para você se inspirar. Veja como esse elemento pode ser explorado em diferentes tipos de ambiente
0 Compartilhamentos
0
0
0

Biblioteca
Brasiliana
, por Eduardo de
Almeida Arquitetos
e Mindlin
Loeb+Dotto Arquitetura
– Foto: Nelson Kon

Redação Galeria da
Arquitetura

O pé-direito alto
pode ser usado para ampliar e valorizar a sala ou o hall de entrada de
residências, restaurantes, lobbies e etc. Se você é fã, confira a lista com
10 projetos de pé-direito marcante
!

1. Biblioteca Brasiliana (São Paulo – SP)

A praça de convívio coberta
e o anel central da Biblioteca Brasiliana ficaram imponentes com o pé-direito
duplo
. O projeto é dos escritórios Eduardo de Almeida Arquitetos e Mindlin
Loeb+Dotto Arquitetura
.

Biblioteca
Brasiliana
, por Eduardo de
Almeida Arquitetos
e Mindlin
Loeb+Dotto Arquitetura
– Fotos: Nelson Kon

2. Bráz Trattoria (São Paulo – SP)

O pé-direito do Bráz
Trattoria tem 9 metros de altura. Para criar um aspecto mais industrial no
salão principal do restaurante, o projeto do Estúdio Penha tirou partido
de tubulações, concreto aparente e grandes esquadrias.

Bráz
Trattoria
, por Estúdio Penha
– Fotos: Lufe Gomes

3. Casa Acapulco (Guarujá – SP)

A sala principal dessa
residência ficou mais sofisticada com a grande distância entre o piso e o teto.
O arquiteto Flavio Castro teve como premissa ampliar os espaços
internos, além de integrá-los às áreas externas.

Casa Acapulco, por FCstudio – Fotos: Marcelo Scandaroli

4. Casa MLA (São Paulo – SP)

Com pé-direito
duplo, a sala de estar da Casa MLA ganhou charme devido ao uso da madeira, do
concreto aparente e dos grandes panos de vidro que integram o espaço interno
com o verde do exterior. Por Jacobsen Arquitetura.

Casa MLA, por Jacobsen
Arquitetura
– Fotos: Leonardo Finotti

5. Corazon Filmes (São Paulo – SP)

Projetada com
mezaninos que parecem flutuar e que se contrapõem ao pé-direito duplo, a sede
da produtora tem como diferencial o maior aproveitamento do espaço para alocar
todo o staff. Por Fabio Marins Arquitetura.

Corazon
Filmes
, por Fabio Marins
Arquitetura
– Fotos: Alessandro
Guimarães

6. Hospital Moriah (São Paulo – SP)

O escritório
Zanettini Arquitetura
“quebra” a rigidez e a frieza comuns em hospitais ao
criar uma área de recepção bem alta e envolvida por vidros, que trazem luz
natural e o contato com o exterior.

Hospital
Moriah
, por Zanettini
Arquitetura
– Fotos: Marcelo Scandaroli

7. Quinta da Baroneza I (Itatiba – SP)

Para garantir melhor
conforto térmico e boa ventilação à residência, o projeto de Deborah Roig
Interiores
adotou o pé-direito alto. Os espaços também são valorizados pelo
uso de materiais naturais, como tijolo e madeira.

Quinta da
Baroneza I
, por Deborah Roig
Interiores
– Fotos: Gui Morelli

8. Refettorio Gastromotiva (Rio de Janeiro – RJ)

O Refettorio
Gastromotiva
é marcado pelo salão bem alto com mesas compridas e pendentes
dispostos em diferentes alturas – que criam uma iluminação mais cênica e “quente”.
Por METRO Arquitetos Associados.

Refettorio
Gastromotiva
, por METRO
Arquitetos Associados
– Fotos: Ilana Bessler

9. Residência em Campos do Jordão (Campos do Jordão – SP)

O pé-direito
triplo
do andar social da residência – de quase 9 metros de altura – é um dos
destaques do projeto concebido pelos escritórios Mareines Arquitetura e Patalano
Arquitetura
.

Residência em
Campos do Jordão
, por Mareines
Arquitetura
e Patalano
Arquitetura
– Fotos: Leonardo Finotti

10. Vitória Hotel Paulínia (Campinas – SP)

Os halls de entrada
do Vitória Hotel Paulínia têm pé-direito alto, de aproximadamente 12
metros de altura. Por ABarroso Design de Interiores.

0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *