Guia completo sobre brises de madeira: custos, tipos, funções e mais

1 Compartilhamentos
0
0
1

Descubra como os brises de madeira estão revolucionando o design arquitetônico com sua eficiência térmica e estética sofisticada

Foto de um pergolado sobre um deck de madeira. A estrutura é inteira de brise de madeira, das paredes ao teto.
Muito mais que uma solução térmica, os brises de madeira são multifuncionais e compõem a estética de vários ambientes em um projeto (Foto: Plena Madeira)

Texto: Naíza Ximenes

30/04/2024 | 09:21 — Solução eficaz e elegante para controle térmico e visual em projetos arquitetônicos, os brises de madeira têm se tornado um elemento imprescindível nos projetos de arquitetura contemporâneos.

Do francês “brise-soleil”, que significa quebra-sol, eles são comercializados em uma variedade de tipos e materiais, adicionando não apenas funcionalidade, bem como estilo e sofisticação às construções.

Comumente utilizados para compor fachadas, sejam elas residenciais ou comerciais, os brises de madeira são ótimas estratégias para a economia de energia, proteção contra raios solares, garantia de privacidade e segurança (em especial, quando reduzem a visibilidade do interior de um ambiente).

O que são brises de madeira?

Os brises de madeira são elementos arquitetônicos compostos por lâminas ou ripas de madeira, dispostas horizontal ou verticalmente. Apesar de terem como objetivo principal o controle da entrada de luz solar e a regulação da temperatura interna dos espaços, os brises caíram no gosto dos arquitetos e se tornaram um artefato importantíssimo para a estética de um projeto.

Além das fachadas, essas estruturas também têm sido utilizadas como divisórias, coberturas em áreas externas e elementos decorativos que, muitas vezes, “disfarçam a bagunça”. Basicamente, a proposta é preservar uma área do excesso de luz solar sem cortar a passagem de ar.

Custo e melhor tipo de madeira

O custo de um brise de madeira pode variar dependendo do tipo de madeira escolhido, do tamanho do projeto e da complexidade da instalação. Geralmente, madeiras de qualidade como cumaru, ipê e jatobá são as mais utilizadas devido à sua durabilidade e resistência às intempéries.

É importante escolher uma madeira que seja resistente às intempéries, durável e que tenha uma boa estabilidade dimensional para garantir a longevidade do brise e minimizar os custos de manutenção ao longo do tempo.

Vale mencionar que o valor é calculado por metro quadrado, que costuma custar entre R$ 200 e R$ 800. Caso a madeira seja nobre, o custo pode ser mais elevado. Os valores não incluem os materiais utilizados na impermeabilização, proteção e envernização da estrutura.

Veja também

Atelier Marko Brajovic projeta domos sustentáveis na Amazônia

Salone del Mobile.Milano 2024 traz grandes novidades

Veja os destaques da FEICON 2024

Função dos brises de madeira

Versátil e flexível, esses elementos desempenham várias funções. Entre elas, estão:

  1. Controle térmico: ao bloquear parte da luz solar direta, os brises ajudam a reduzir a entrada de calor nos ambientes internos, contribuindo para a eficiência energética e proporcionando maior conforto aos ocupantes.
  2. Privacidade e ventilação: além de controlar a entrada de luz, os brises oferecem privacidade aos ambientes, impedindo a visibilidade direta do exterior sem interromper a trocar de ar entre área interna e externa.
  3. Estética: os brises de madeira adicionam um elemento estético aos projetos, conferindo uma aparência contemporânea e sofisticada.

Tipos de brises

Existem diferentes tipos de brises de madeira, cada um com características específicas para atender às necessidades do projeto. Alguns dos tipos mais comuns incluem:

  1. Brises fixos: são elementos fixos instalados permanentemente nas fachadas do edifício. Podem ser horizontais ou verticais e geralmente são utilizados em áreas onde a incidência solar é mais intensa.
  2. Brises móveis: são ajustáveis e podem ser movidos de acordo com as necessidades de iluminação e ventilação do ambiente. São ideais para espaços onde se deseja maior flexibilidade no controle da luz e da temperatura.
  3. Brises articulados: possuem lâminas que podem ser ajustadas em diferentes ângulos, permitindo um controle preciso da entrada de luz e calor nos ambientes internos.

Ao aplicar um brise de madeira na fachada, é essencial determinar a orientação solar em relação à residência para decidir onde posicionar o painel de madeira. Segundo os especialistas, a recomendação é que as ripas do painel de madeira sejam dispostas verticalmente se a orientação for leste ou oeste. Isso permitirá bloquear o sol nascente e poente.

Se a direção for norte, por outro lado, é viável reduzir a radiação solar excessiva com o brise posicionado horizontalmente. Por fim, se a fachada estiver voltada para o sul, a orientação das ripas do painel de madeira não tem uma influência significativa, devido à menor incidência solar nessa direção. Portanto, a instalação pode ser feita de acordo com a preferência estética.

Os brises de madeira oferecem uma combinação única de funcionalidade e beleza, tornando-se uma escolha popular para arquitetos e designers em todo o mundo. Seja para controle térmico, visual ou estético, os brises de madeira demonstram seu valor como uma solução versátil e elegante para as demandas contemporâneas da arquitetura.

Confira, a seguir, alguns projetos na Galeria da Arquitetura com brises de madeira!

Felipe Caboclo Arquitetura – Casa Luar
Foto da fachada da Casa Luar, projetada por Felipe Caboclo Arquitetura. Há dois pavimentos. Embaixo, a estrutura é de concreto. Em cima, a estrutura é inteiramente revestida por brises de madeira.
Situada em Itu e inserida na natureza, a residência foi projetada em três níveis para aproveitar o declive de 8 metros do terreno e obter as melhores vistas (Foto/Imagem: Manuel Sá)
Gui Mattos – Haras Larissa
Pátio interno do Haras Larissa, uma casa projetada por Gui Mattos. Toda a estrutura ganhou formato em L, e os brises de madeira dão o formato dos corredores de acesso á área interna.
O projeto residencial foi implantado em um terreno de 2300 metros quadrados. Nele, dois pavilhões se encontram e formam um amplo pátio (Foto/Imagem: Pablo Casals)
Stemmer Rodrigues – Casa Mansa
Foto da fachada da Casa Mansa, projetada por Stemmer Rodrigues. A casa tem um único pavimento, e a fachada é inteira de brises de madeira, ora mais próximos, ora mais espaçados.
Situada em Xangri-lá, no Rio Grande do Sul, a Casa Mansa foi construída em seis meses, com técnicas sustentáveis e mínima intervenção no terreno (Foto/Imagem: Lucas Frank)
Bernardes Arquitetura – Adega Santiago SP
Foto da área interna do restaurante Adega Santiago SP, projetado por Bernardes Arquitetura. Há brises de madeira em toda a lateral do ambiente, conectando interior e exterior.
Reunindo o conhecimento prévio aplicado no projeto da unidade carioca e a expertise de anos de atuação, o escritório Bernardes Arquitetura projetou mais uma filial do restaurante Adega Santiago — dessa vez, em São Paulo, no CJ Shops (Foto/Imagem: Fran Parente)
Gálvez & Márton Arquitetura — LSK Baronesa
Foto da área de lazer da casa LSK Baronesa, projetada por Gálvez e Marton Arquitetura. Há sofás e poltronas no centro. No segundo plano, a parede de brises de madeira que permite a visualização do horizonte de vegetação.
Situada em um condomínio no interior de São Paulo, a casa LSK Baronesa foi projetada pelo escritório Gálvez & Márton Arquitetura e ocupa um terreno triangular de 2.400 metros quadrados (Foto/Imagem: Fran Parente)
1 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *