Fronteira entre Chile e Argentina vai ganhar estação de acolhimento em madeira

O projeto é do escritório de arquitetura Ennead Architects
0 Compartilhamentos
0
0
0

Foto

A iniciativa tem o propósito de honrar as culturas locais e as características geológicas da região (Foto: Ennead Architects/Reprodução)

Texto: Naíza Ximenes

02/09/2022 | 17:19 — A fronteira entre o Chile e a Argentina acaba de ganhar um projeto que reúne inovação e arquitetura: uma estação de acolhimento que será construída em madeira maciça. Os desenhos são do escritório de arquitetura Ennead Architecs, que escolheu a passagem Cardenal Antonio Samoré para a construção. 

O local é conhecido como uma das passagens montanhosas mais movimentadas do sul dos Andes — motivo pelo qual o centro de acolhimento foi pensado para abrigar moradores, turistas e viajantes, fazendo eco à tradição patagônica de abrigos remotos nas montanhas.

Foto

(Foto: Ennead Architects/Reprodução)

Foto

(Foto: Ennead Architects/Reprodução)

Com o propósito de honrar as culturas locais e as características geológicas da região, o edifício também foi idealizado para atuar como uma transição entre a paisagem ampla da estepe andina e as copas das árvores que pertencem à floresta tropical valdiviana. Foi pensando nisso, inclusive, que os arquitetos optaram por posicionar as estruturas adicionais de policiamento e manutenção rodoviária estrategicamente, de forma que a interferência na paisagem seja minimizada.

Na porção interior da obra, o acesso à estrutura já conduz o visitante a um saguão de desembarque, que, além de atuar como um ambiente de encontro para os turistas, ainda reúne uma série de estabelecimentos comerciais. Uma vez no interior do complexo, os visitantes podem utilizar uma série de caminhos para acessar edifícios adaptados para carros, ônibus e caminhões. 

Foto

(Foto: Ennead Architects/Reprodução)

Foto

(Foto: Ennead Architects/Reprodução)

O acesso central — que, assim como as vias secundárias, ganhou atenção especial no projeto por espelhar o rio Gol-Gol, no Parque Nacional Puyehue — leva ao hall de entrada, à alfândega comercial e aos edifícios de serviços. 

Seguindo a proposta de se adaptar à topografia plana local, a obra também ganhou cobertura inclinada, que remete à geometria dos vulcões, segundo os arquitetos. O intuito é proporcionar uma conexão visual com os vulcões dos arredores e o Rio Gol-Gol. 

Por sua proximidade com o Parque Nacional Puyehue, a estrutura foi projetada com base na tradição de arquitetura de madeira do sul do Chile e será construída em madeira maciça certificada.

Foto

(Foto: Ennead Architects/Reprodução)
0 Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.